EDIÇÃO ATUAL

Guanambi . Bahia .


Você está aqui: Capa » Editorias » Agronegócios » Melhores do mundo: “Queijo do Marajó” conquista na França Categoria Prata Internacional

Melhores do mundo: “Queijo do Marajó” conquista na França Categoria Prata Internacional

O casal Cecília e Marcus Pinheiro iniciou atividade na sua queijaria da São Victor há 19 anos, e obedece a uma tradição de mais de dois séculos, produzindo rigorosamente o mesmo tipo de queijo (foto: Divulgação).

Fabricado artesanalmente em Salvaterra, município brasileiro da Ilha do Marajó, no Pará, o Queijo do Marajó, da Fazenda São Victor, conquista uma premiação internacional, na categoria “Prata”, da 4a Edição do Mondial du Fromage et des Produits Laitiers, realizado na França neste mês de junho. É a primeira vez que um laticínio de búfala conquista categoria tão expressiva em um concurso mundial para os melhores produtores de queijos.

Produzido pelo casal Cecília e Marcus Pinheiro, desde o ano 2000, o queijo da São Victor obedece a uma tradição da região Norte há mais de dois séculos, produzindo rigorosamente o mesmo tipo de queijo de sabor peculiar e único no Brasil.

“Esse reconhecimento internacional nos mostra que estamos traçando um caminho sólido em nome da nossa categoria. Para nós, essa premiação é gratificante, pois estamos levando o queijo artesanal de leite de búfala ao conhecimento do mundo”, revela Marcus Pinheiro.

O Concurso, de abrangência internacional, tem a colaboração da International Guild of Cheesemakers, e é reservado exclusivamente aos expositores presentes na feira e com o compromisso profissional de mostrar conhecimento, tradição, excelência em criatividade e inovação de conceitos.

“Acreditamos que uma nova fase se inicia. Vamos levar mais esse título para o nosso Estado, e assim ajudar a construir um legado em prol da categoria no Pará, assim como o reconhecimento e o valor do queijo artesanal brasileiro”, frisa produtora Cecília.

Concorrência

Dentre 15 diferentes nacionalidades de expositores que participaram do evento, foram apresentados 952 produtos lácteos e avaliados por 135 juízes profissionais.

Dentre 15 diferentes nacionalidades de expositores que participaram do evento, foram apresentados 952 produtos lácteos e avaliados por 135 juízes profissionais.

Dentre 15 diferentes nacionalidades de expositores que participaram do evento, foram apresentados 952 produtos lácteos e avaliados por 135 juízes profissionais.

Em novembro de 2018, a queijaria também foi contemplada com o “Super Ouro”, na quarta edição do Prêmio Queijo Brasil, que aconteceu no Memorial da América Latina, em São Paulo. Naquele concurso foram quase 500 queijos artesanais de todo o Brasil, avaliados por um corpo de 24 jurados, durante dois dias de degustação.

Além da conquista “máxima” a nível nacional, a queijaria São Victor agregou premiações expressivas no gênero laticínios, dentre as quais primeiro lugar no XII Encontro Nacional de Criadores de Búfalos e no II Marajó Búfalos, maior premiação de queijos artesanais; e ainda “Medalha de Bronze”, na terceira edição do Prêmio Queijo do Brasil.

A Queijaria São Victor

Desenvolvida em 2006, por estímulo do Projeto de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Queijo do Marajó, Queijaria São Victor  é reconhecida dentre os maiores criadores de búfalo e produtores de queijo de búfala, com a maior premiação de queijos artesanais: “Medalha de Bronze”, no III Prêmio Queijo do Brasil, e de “Super Ouro”,  no IV Prêmio Queijo Brasil, em São Paulo.

Fonte: Luana Valente |Accessus Comunicação

Comente esta matéria

O seu endereço de email não será publicado. Campos requeridos estão marcados *

*

Não serão publicados comentários com xingamentos e ofensas ou que incitem a intolerância ou o crime. Os comentários devem ser sobre o tema da matéria e sobre os comentários que surgirem. As mensagens que não atendam a essas normas serão deletadas. Os que transgredirem essas normas poderão ter interrompido seu acesso a este veículo.

Scroll To Top