REVISTA DIGITAL

Guanambi . Bahia .
Você está aqui: Capa » Plantão de Notícias » Arquivo de Notícias » BAMIN realiza as primeiras exportações de minério da Mina Pedra de Ferro de Caetité

BAMIN realiza as primeiras exportações de minério da Mina Pedra de Ferro de Caetité

Da MIna Pedra de Ferro da BAMIN, de Caetité, deverá sair até o final de 2021 fazer 11 carregamentos para o mercado consumidor da Europa e da Ásia, num total de aproximadamente 490 mil toneladas – Foto: Divulgação/BAMIN 2.

Da Mina Pedra de Ferro da BAMIN, de Caetité, deverão sair até o final de 2021 aproximadamente 11 carregamentos para o mercado consumidor da Europa e da Ásia, num total próximo de 490 mil toneladas – Foto: Divulgação/BAMIN 2.

O início das operações de comércio exterior da BAMIN coloca a mineradora como player global na produção e comercialização de minério de ferro. A BAMIN começou a operar a Mina Pedra de Ferro, em Caetité, na Bahia, em janeiro, e as primeiras exportações já estão sendo realizadas. Até o final de 2021 estão previstos pelo menos 11 carregamentos para o mercado consumidor da Europa e da Ásia, num total de aproximadamente 490 mil toneladas.

A próxima exportação está agendada para o final de julho e há outro embarque previsto para agosto. Ambas as expedições terão logística de escoamento pelo Terminal Enseada, em Maragogipe, na Bahia. A exportação de julho será para a Alemanha e tem como destino o porto de Rotterdam, na Holanda.

A partir da Mina Pedra de Ferro, em Caetité, o escoamento do minério é realizado por via rodoviária até o Terminal Licínio de Almeida, de onde será transportado por trens da Ferrovia Centro-Atlântica (FCA). O trajeto ferroviário segue até o Terminal Petim, no município de Castro Alves. Neste local ocorre o transbordo da carga, passando do modal ferroviário para o rodoviário, onde seguirá via caminhões até o Terminal Enseada.

O transporte está a cargo da VLI, que opera a FCA, no modal ferroviário e rodoviário. A operação do terminal de transbordo iniciou-se dentro da faixa de domínio da FCA, mas para a continuidade da operação, um terminal de transbordo está em construção em Castro Alves, próximo à estação ferroviária de Petim. O trecho rodoviário até o porto de escoamento é de aproximadamente 100 km.

Minério premium

O minério de ferro que a BAMIN está exportando é o DSO 65. O teor do minério o classifica e o qualifica na categoria prêmio, com baixo índice de contaminantes. Pela qualidade que possui, o minério extraído e beneficiado permite a redução de emissões de CO2 no processo de siderurgia, o que eleva a performance e a sustentabilidade da indústria. Por ter elevado grau de pureza, o processo de beneficiamento do DSO 65 não demanda o uso de água e requer baixo consumo energético.

No Brasil há 16 anos

Presente no Brasil há 16 anos, a BAMIN tem entre seus negócios a Mina Pedra de Ferro, na região de Caetité, o Porto Sul, em Ilhéus, e agora  a Ferrovia de Integração Oeste Leste – FIOL. A empresa faz parte do Eurasian Resources Group (ERG), líder em mineração, metais e logística. O ERG é também o maior operador de transportes da Ásia Central, com ampla experiência em ferrovias.

FIOL no escoamento do minério

O sistema de transportes que está sendo utilizado pela BAMIN será substituído nos próximos anos por um processo de logística de maior capacidade e eficiência. Para exportar o minério de ferro a empresa usará a FIOL, que está em construção entre Caetité e Ilhéus. Com 537 km, este é o Trecho 1 da ferrovia e foi arrematado pela BAMIN em leilão realizado pelo Governo Federal em abril, na B3 (Bolsa de Valores), em São Paulo. O investimento comprometido é de R$ 3,3 bilhões.

“Este é o primeiro passo para uma logística integrada de maior capacidade e eficiência. Com a concessão do trecho 1 da Ferrovia de Integração Oeste Leste (FIOL) e a construção do Porto Sul, em Ilhéus, vamos atingir a nossa capacidade máxima de produção e exportação, de 18 milhões de toneladas anuais de minério de ferro, em 2026. A FIOL e o Porto Sul são fundamentais para consolidar um novo corredor logístico e de exportação para a mineração e o agronegócio da Bahia e do Brasil”, afirmou Eduardo Ledsham, CEO da BAMIN.

A subconcessão é pelo período de 35 anos, cinco deles para a construção e 30 anos para a operação. Uma estimativa do Ministério da Infraestrutura é de que durante as obras, serão gerados 55 mil empregos diretos e indiretos e com geração de renda.

Porto Sul está em construção

Como parte da logística integrada, em parceria com o governo do estado da Bahia, a BAMIN está construindo o Porto Sul, em Ilhéus. A expectativa é de que em cinco anos o terminal portuário, com capacidade para até 42 milhões de toneladas anuais, já esteja em operação.

Fonte: Aloísio Pontes |Darana Relações Públicas

Comente esta matéria

O seu endereço de email não será publicado. Campos requeridos estão marcados *

*

Não serão publicados comentários com xingamentos e ofensas ou que incitem a intolerância ou o crime. Os comentários devem ser sobre o tema da matéria e sobre os comentários que surgirem. As mensagens que não atendam a essas normas serão deletadas. Os que transgredirem essas normas poderão ter interrompido seu acesso a este veículo.

Scroll To Top